Diversidade e inovação caminham juntas por uma empresa ideal. Confira o depoimento de Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil

A executiva fala sobre como se envolveu com o desenvolvimento da diversidade na Microsoft e a importância de enxergar o tema pela perspectiva dos outros

Com passagens por renomadas empresas do mundo tecnológico, como Facebook e Apple, Paula Bellizia retornou à Microsoft Brasil, em 2015, para dar continuidade a uma mudança importante. Inserir a diversidade na cultura da companhia foi um incentivo a mais para que a executiva assumisse o compromisso de trabalhar com o tema, não só com questões relacionadas à igualdade de gênero, mas também desenvolvendo ações para que o corpo de funcionários da Microsoft possa ser uma representação da sociedade. Confira o vídeo completo em: https://goo.gl/AQg3xJ

Angolana e filha de pais portugueses, Paula conta que percebeu, logo cedo, como a diversidade precisava estar presente no mercado de trabalho. Com cerca de vinte anos, a atual presidente da Microsoft Brasil já passou por uma situação que demonstrou a fragilidade do tema nas empresas: “eu estava sentada na porta da pessoa que iria me contratar. Ele viu no meu currículo que eu era angolana e ficou andando de um lado para o outro, falando com a secretária: ‘mas onde está essa menina que não aparece’. Foi então que resolvi me apresentar, mas acabei ouvindo: ‘meu Deus! Eu estava esperando uma africana’”.

Formada em Tecnologia da Informação, Paula Bellizia afirma que é uma área técnica e com poucas mulheres. Portanto, assim que voltou para a Microsoft, engajou-se para criar uma companhia que busca a representação de 50% homens e 50% mulheres. Ainda não conseguiu, mas, não mede esforços para enraizar o assunto no dia a dia de seus funcionários. Até porque, o Brasil é um dos países mais diversos do mundo, mas esse multiculturalismo não é visto dentro das organizações: “a representação social é um diferencial competitivo. É uma questão de negócios, pois diversidade gera inovação. E como uma empresa, que vive de inovação, vai servir seus consumidores e clientes das mais diversas maneiras sem uma representação da sociedade em seu corpo de funcionários?”.

Mas como desenvolver a empresa para que a igualdade de gênero seja, finalmente, uma realidade? Segundo Bellizia, os pontos-chave para a evolução do tema passam pela transmissão do conhecimento para os colaboradores e, também, por um processo de contratação adequado. O processo seletivo de uma empresa precisa dar oportunidades iguais para todos os candidatos. E esse ideal foi implementado na Microsoft, onde o melhor candidato, com total meritocracia, é contratado. Não importa se é homem ou mulher.

Paula Bellizia 2

Defensora da ideia de que diversidade e inovação caminham lado a lado, a presidente da Microsoft encerrou seu depoimento, com muitos aplausos, ao relatar sua resposta a uma das primeiras entrevistas que deu no cargo: “se eu me considero um exemplo por chegar a CEO de uma empresa de tecnologia? Não, porque exemplos sugerem a ideia de serem copiados. Cópias matam a diversidade”. Este é o oitavo vídeo divulgado desta edição da Plataforma Liderança Sustentável. Anteriormente, já foram publicadas as vídeo-palestras do professor e doutor Robert Henry Srour; Paulo Stark, CEO da Siemens no Brasil; Raïssa Lumack, VP de RH da Coca-Cola; Didier Tisserand, presidente da L’Oréal Brasil; Marcio Coelho, presidente de Medical Devices da Johnson & Johnson Brasil; Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil; Fabio Coelho, presidente do Google no Brasil; e também o teaser do evento.

Veja:

Vídeo-palestra de Fábio Coelho: https://goo.gl/EQO06L

Vídeo-palestra de Nadine Gasman: https://goo.gl/ehYyRe

Vídeo-palestra de Marcio Coelho: https://goo.gl/9dVjyC

Vídeo-palestra de Didier Tisserand: https://goo.gl/1tnnYQ

Vídeo-palestra de Raïssa Lumack: https://goo.gl/n3EAEq

Vídeo-palestra de Robert Henry Srour: https://goo.gl/uBJkKW

Vídeo-palestra de Paulo Stark: https://goo.gl/to2pUz

Teaser da Plataforma Liderança Sustentável 2016: https://goo.gl/s7wTfQ 

Sobre a Plataforma Liderança Sustentável

A Plataforma Liderança Sustentável é um movimento lançado em junho de 2011, que reúne 60 presidentes de grandes empresas brasileiras em torno da missão de conectar, inspirar e educar jovens líderes de negócios para o tema da sustentabilidade. Para tal tarefa, apoia-se em um conjunto de ferramentas – livros, portal, vídeo-palestras, eventos educacionais regionais e nacionais, cursos e conteúdos de suporte à educação de líderes para empresas, escolas de gestão e universidades. A iniciativa já atingiu presencialmente cerca de 85 mil gestores em mais de 300 eventos pelo Brasil – além de países como França, Espanha, Portugal, Canadá e Argentina – e mais de 1,8 milhão de pessoas com as vídeo-palestras disponíveis em canal no YouTube.

 

Sobre a Ideia Sustentável

Ideia Sustentável é uma empresa especializada em estratégia e inteligência em sustentabilidade empresarial criada, em 1993, por Ricardo Voltolini, um dos primeiros especialistas no tema do Brasil. A consultoria conta com o diferencial de estar há 23 anos no mercado, desenvolvendo conhecimento e apoiando empresas, em três linhas: Consultoria (apoio a empresas no desenvolvimento de políticas de sustentabilidade, definição e diretrizes, criação de cultura e identidade, educação e conteúdos); Educação (Sensibilização, treinamento e capacitação de profissionais de empresas para os temas da sustentabilidade); e Conteúdos (Estudos, Pesquisas, Fóruns, Eventos Técnicos, Relatórios e Planejamento de comunicação da e para a sustentabilidade).



Quem já contratou




Leve essa ideia para sua empresa: Contate-nos

Compartilhar:

É um movimento que reúne as histórias de líderes empresariais com o objetivo de conectar, inspirar e educar jovens líderes para os valores da sustentabilidade. É ainda um conjunto de ferramentas – livros, portal, videopalestras, eventos educativos regionais e nacionais, cursos e conteúdos de apoio à educação de líderes – que se presta a apoiar empresas, associações classistas, escolas de negócio e universidades na gestão de conhecimento para a sustentabilidade.

Não. Embora relate histórias de presidentes de companhias, a Plataforma se destina a todo profissional que exerce algum tipo de liderança. O líder não está sentado apenas na cadeira de presidente. Pode estar nos diferentes escalões de uma empresa. Pode estar à frente de um departamento, de uma pequena empresa, de um empreendimento ou de algum processo.

Storytelling é a base metodológica da Plataforma Liderança Sustentável. São muitas as definições. A que utilizamos é a seguinte: usar a narrativa empresarial como meio para inspirar e educar pessoas. Bons líderes têm, entre as suas habilidades, a arte de contar histórias e envolver pessoas. Em vez de business cases, o que fazemos é estruturar narrativas que mostram como pensam, agem, tomam decisões e em que valores acreditam líderes sustentáveis. Essas narrativas, que combinam fatos empresariais e pessoais, estabelecem proximidade, proporcionam maior identificação, humanizam o discurso da sustentabilidade e, assim, ajudam a fazer a gestão do conhecimento para a mudança.

Não é um conceito, mas um nome que criamos para designar um tipo de líder que lidera com valores e pela sustentabilidade. Este perfil de liderança tem sido crescentemente mencionado em documentos internacionais, como os Princípios da Educação Empresarial Responsável e a Agenda 50+20, por organizações como o Pacto Global da ONU e o Pnuma e em eventos internacionais relevantes, como o Fórum de Davos e a Rio+20.

Não, não é necessário, desde que o material não seja usado para fins de lucro. Qualquer pessoa interessada em adotar os conteúdos da Plataforma poderá fazê-lo, bastando acessar o vídeo diretamente nos portais do Vimeo e do YouTube, onde estão arquivados. Recomendamos que, feita a utilização do material, o interessado envie depois por e-mail (plataforma@ideiasustentavel.com.br) um breve relato dos resultados e impactos em sala de aula, em palestras ou treinamentos.

Primeiro, ouvimos  entre 70 e 80 especialistas em sustentabilidade (acadêmicos, consultores, formadores de opinião) para elaborar uma lista inicial de indicações. As empresas mais indicadas são, posteriormente, estudadas pela equipe Ideia Sustentável (mediante análise de relatórios e entrevistas) para verificar se – e o quanto – estão adequadas ao tema do ano. Só, então, depois desse procedimento, são convidadas a participar. Em 2011, o tema foi o estado da arte da liderança sustentável. Em 2012, como as empresas estão educando os seus líderes para o tema. Em 2013, estratégia. Em 2014 e 2015, serão, respectivamente, inovação e comunicação.

Em 2011, com o lançamento do livro Conversas com Líderes Sustentáveis (Senac-SP). Observando que as histórias dos personagens do livro impactavam os ouvintes, e que um livro, por melhor que fosse, atingiria um público limitado, o autor, Ricardo Voltolini, convidou alguns dos presidentes a compor um movimento com o propósito inicial de realizar encontros empresariais pelo país. O livro foi consequência de pesquisa feita por Ideia Sustentável, em 2008, que apontou a liderança como a variável de sucesso mais importante para a inserção do conceito de sustentabilidade na gestão e na cultura dos negócios.

Com receita advinda do patrocínio de empresas apoiadoras que se identificam, institucional e ideologicamente, com a missão da Plataforma de inspirar e educar jovens líderes para a sustentabilidade. Os recursos destinam-se integralmente ao pagamento dos profissionais envolvidos na execução das atividades, pesquisa e produção de conhecimento, criação de videos inspiracionais/educacionais, organização de eventos (nacional e regionais) e  manutenção do portal.

Sim. Mas o apoio não é uma condição para integrar o conjunto de cases. O processo de seleção – já mencionado – obedece a critérios técnicos. E desse princípio Ideia Sustentável não abre mão sob pena de comprometer a qualidade das ideias e legitimidade das ações. Há empresas que integram o movimento e não o apoiam. Para apoiar, a empresa precisa se comprometer com os seis princípios da Plataforma. Ideia Sustentável se reserva o direito de não aceitar o apoio de empresas fabricantes de cigarros, de armas e envolvidas em negócios controversos, cujos impactos socioambientais sejam contestados pela maioria da sociedade.

Não, ela não é nem um prêmio nem um selo. É uma iniciativa de gestão de conhecimento que visa tão somente mostrar como as empresas e os seus líderes estão enfrentando os dilemas da inserção da sustentabilidade nos negócios. Não conferimos notas e avaliações a empresas, não transformamos líderes em gurus, não idolatramos pessoas e marcas, não atestamos idoneidade ética e moral nem oferecemos nenhum tipo de aval de que uma companhia é mais ou menos sustentável. Também não julgamos, por princípio, empresas e pessoas.

Parcerias