Denise Hills – A governança como instrumento de transformação corporativa (Itaú Unibanco)

Superintendente de Sustentabilidade do Itaú Unibanco defende a importância da governança para a gestão sustentável das empresas

Qual a importância de alinhar a governança de uma empresa e os valores da sustentabilidade? Na primeira de 12 vídeo-palestras do Líder 2030 Talks, evento que reuniu executivos de grandes empresas para compartilhar experiências e desafios na gestão do tema, Denise Hills, superintendente de Sustentabilidade e Novos Negócios do Itaú Unibanco, discute o papel da governança na consolidação da cultura de sustentabilidade nas empresas.

Governança é um conjunto de regras, costumes e políticas que guiam uma empresa. Trata-se, portanto, da “espinha dorsal” de uma organização, que define o que ela é, qual seu objetivo e os meios utilizados para crescer. De acordo com a executiva, há pouco tempo, dizia-se que governança era algo imaterial. Hoje em dia, quando empresas como o Itaú-Unibanco não mais utilizam o termo “resultado”, mas sim, substituíram-no por “valor”, percebe-se como a governança ajudou a estabelecer novas compreensões sobre o que é sucesso para as organizações.

Para Denise, com a valorização de aspectos da sustentabilidade na gestão empresarial, a verdadeira mudança começa a acontecer quando a governança tradicional de uma empresa incorpora o tema: “Isso é sinal de aprendizado e maturidade da corporação, que entende como a sustentabilidade é essencial e faz parte do ‘business as usual’ (práticas habituais de negócios das companhias)”. A governança de sustentabilidade deve existir em paralelo com a tradicional, como um “fast track de tendências”, ou seja, um alerta para os executivos de que esses atributos devem fazer parte da cultura corporativa e fazem diferença nos valores da empresa.

Para finalizar sua palestra, a superintendente oferece uma dica sobre quem pode fazer a mudança, não só nas empresas, mas no mundo: “quem precisa protagonizar a mudança é quem está com o poder da história na mão. Esse é um dos papéis que executivos e empresas cada vez mais têm”. Ou seja, os executivos que ocupam cargos de liderança precisam realizar esforços para tornar a sustentabilidade uma realidade cada vez mais presente na gestão das empresas, impactando e influenciando líderes, colaboradores e clientes.




Compartilhar:

 

twitter

Parcerias