Sentindo na pele a falta de sensibilidade em relação às diferenças. Assista ao vídeo de Fábio Coelho, presidente do Google Brasil

O novo líder da Plataforma Liderança Sustentável conta como sua experiência nos Estados Unidos fez com que adquirisse uma nova visão sobre a diferença de oportunidades para minorias

Ao ser transferido para os Estados Unidos, Fábio Coelho, atual presidente do Google no Brasil, começou a sentir na pele os efeitos de integrar uma minoria em uma sociedade que ainda não assimilou a importância da diversidade. O executivo morou, por um determinado período de tempo, em Atlanta, cidade na qual 65% dos residentes são afro-americanos. E foi nessa época que Fábio percebeu o dilema enfrentado por vários grupos menos favorecidos: “infelizmente, não importa o seu talento. Muitas vezes nós temos oportunidades diferentes logo no começo da vida. O conceito que eu comecei a amadurecer em relação às minorias passa pela definição de grupos lutando por direitos iguais e buscando acesso às mesmas oportunidades”. Você pode conferir o vídeo completo em: https://goo.gl/EQO06L

Ao assumir o comando da BellSouth, que posteriormente viraria AT&T, Fábio enfrentou um grande desafio. Como um brasileiro poderia fazer com que cerca de 1000 funcionários norte-americanos aceitassem sua liderança? Diante de um grupo tão diverso, o líder percebeu que deveria pensar no que faria aquelas pessoas gostarem de trabalhar com ele e se identificarem com seu comando para atingir um objetivo comum de trabalho. “Para isso, entendi que precisava aumentar a minha sensibilidade em relação ao respeito às diferenças, e entender, profundamente, o que cada ser humano estava buscando naquele ambiente, para que pudéssemos construir um projeto”.

O presidente do Google Brasil conta que sua experiência nos Estados Unidos foi um divisor de águas na análise da questão da diversidade. Quem está no Brasil, na condição de acesso favorável, não possui essa sensibilidade. Por viver em uma cidade com predominância de afro-americanos, Fábio passou a ser parado com mais frequência por policiais, pois poderia ser um imigrante ilegal. “A maioria dos latinos não tinha referência de que poderiam ter um futuro mais promissor. Por isso, eu passei a integrar grupos para inspirar pessoas e mostrar que um imigrante poderia mais”.

Agora no Google, Fábio entende que deve haver uma representação da sociedade, em todos os níveis, dentro de uma empresa. Mesmo que essa ideia não esteja totalmente implementada nas companhias, reconhecer que é uma necessidade acaba virando o primeiro passo em relação a uma melhora. Com a intenção de consolidar, cada vez mais, a diversidade na cultura da empresa, o Google criou grupos específicos de funcionários, como os Afro Googlers e os Gayglers. “Esse comprometimento com a diversidade é fundamental, pois ele gera o sentimento de que precisamos fazer mais. Não basta, apenas, ser contra a intolerância, é preciso celebrar as diferenças, além de suportar e apoiar cada um dos movimentos que tratam da diversidade”.

Fábio Coelho

Sabendo que ainda possui muito trabalho para enraizar o tema, de forma definitiva, na cultura do Google Brasil, Fábio Coelho possui experiência e sensibilidade para entender as dificuldades enfrentadas por pessoas que não possuem as mesmas oportunidades que os demais. Este é o nono e último vídeo divulgado desta edição da Plataforma Liderança Sustentável. Anteriormente, já foram publicadas as vídeo-palestras do professor e doutor Robert Henry Srour; Paulo Stark, CEO da Siemens no Brasil; Raïssa Lumack, VP de RH da Coca-Cola; Didier Tisserand, presidente da L’Oréal Brasil; Marcio Coelho, presidente de Medical Devices da Johnson & Johnson Brasil; Nadine Gasman, representante da ONU Mulheres no Brasil; Paula Bellizia, presidente da Microsoft Brasil; e também o teaser do evento.

Veja:

Vídeo-palestra de Paula Bellizia: https://goo.gl/bTjSGT

Vídeo-palestra de Nadine Gasman: https://goo.gl/ehYyRe

Vídeo-palestra de Marcio Coelho: https://goo.gl/9dVjyC

Vídeo-palestra de Didier Tisserand: https://goo.gl/1tnnYQ

Vídeo-palestra de Raïssa Lumack: https://goo.gl/n3EAEq

Vídeo-palestra de Robert Henry Srour: https://goo.gl/uBJkKW

Vídeo-palestra de Paulo Stark: https://goo.gl/to2pUz

Teaser da Plataforma Liderança Sustentável 2016: https://goo.gl/s7wTfQ

 

Sobre a Plataforma Liderança Sustentável

A Plataforma Liderança Sustentável é um movimento lançado em junho de 2011, que reúne 60 presidentes de grandes empresas brasileiras em torno da missão de conectar, inspirar e educar jovens líderes de negócios para o tema da sustentabilidade. Para tal tarefa, apoia-se em um conjunto de ferramentas – livros, portal, vídeo-palestras, eventos educacionais regionais e nacionais, cursos e conteúdos de suporte à educação de líderes para empresas, escolas de gestão e universidades. A iniciativa já atingiu presencialmente cerca de 85 mil gestores em mais de 300 eventos pelo Brasil – além de países como França, Espanha, Portugal, Canadá e Argentina – e mais de 1,8 milhão de pessoas com as vídeo-palestras disponíveis em canal no YouTube.

 

Sobre a Ideia Sustentável

Ideia Sustentável é uma empresa especializada em estratégia e inteligência em sustentabilidade empresarial criada, em 1993, por Ricardo Voltolini, um dos primeiros especialistas no tema do Brasil. A consultoria conta com o diferencial de estar há 23 anos no mercado, desenvolvendo conhecimento e apoiando empresas, em três linhas: Consultoria (apoio a empresas no desenvolvimento de políticas de sustentabilidade, definição e diretrizes, criação de cultura e identidade, educação e conteúdos); Educação (Sensibilização, treinamento e capacitação de profissionais de empresas para os temas da sustentabilidade); e Conteúdos (Estudos, Pesquisas, Fóruns, Eventos Técnicos, Relatórios e Planejamento de comunicação da e para a sustentabilidade).




Compartilhar:

É um movimento que reúne as histórias de líderes empresariais com o objetivo de conectar, inspirar e educar jovens líderes para os valores da sustentabilidade. É ainda um conjunto de ferramentas – livros, portal, videopalestras, eventos educativos regionais e nacionais, cursos e conteúdos de apoio à educação de líderes – que se presta a apoiar empresas, associações classistas, escolas de negócio e universidades na gestão de conhecimento para a sustentabilidade.

Não. Embora relate histórias de presidentes de companhias, a Plataforma se destina a todo profissional que exerce algum tipo de liderança. O líder não está sentado apenas na cadeira de presidente. Pode estar nos diferentes escalões de uma empresa. Pode estar à frente de um departamento, de uma pequena empresa, de um empreendimento ou de algum processo.

Storytelling é a base metodológica da Plataforma Liderança Sustentável. São muitas as definições. A que utilizamos é a seguinte: usar a narrativa empresarial como meio para inspirar e educar pessoas. Bons líderes têm, entre as suas habilidades, a arte de contar histórias e envolver pessoas. Em vez de business cases, o que fazemos é estruturar narrativas que mostram como pensam, agem, tomam decisões e em que valores acreditam líderes sustentáveis. Essas narrativas, que combinam fatos empresariais e pessoais, estabelecem proximidade, proporcionam maior identificação, humanizam o discurso da sustentabilidade e, assim, ajudam a fazer a gestão do conhecimento para a mudança.

Não é um conceito, mas um nome que criamos para designar um tipo de líder que lidera com valores e pela sustentabilidade. Este perfil de liderança tem sido crescentemente mencionado em documentos internacionais, como os Princípios da Educação Empresarial Responsável e a Agenda 50+20, por organizações como o Pacto Global da ONU e o Pnuma e em eventos internacionais relevantes, como o Fórum de Davos e a Rio+20.

Não, não é necessário, desde que o material não seja usado para fins de lucro. Qualquer pessoa interessada em adotar os conteúdos da Plataforma poderá fazê-lo, bastando acessar o vídeo diretamente nos portais do Vimeo e do YouTube, onde estão arquivados. Recomendamos que, feita a utilização do material, o interessado envie depois por e-mail (plataforma@ideiasustentavel.com.br) um breve relato dos resultados e impactos em sala de aula, em palestras ou treinamentos.

Primeiro, ouvimos  entre 70 e 80 especialistas em sustentabilidade (acadêmicos, consultores, formadores de opinião) para elaborar uma lista inicial de indicações. As empresas mais indicadas são, posteriormente, estudadas pela equipe Ideia Sustentável (mediante análise de relatórios e entrevistas) para verificar se – e o quanto – estão adequadas ao tema do ano. Só, então, depois desse procedimento, são convidadas a participar. Em 2011, o tema foi o estado da arte da liderança sustentável. Em 2012, como as empresas estão educando os seus líderes para o tema. Em 2013, estratégia. Em 2014 e 2015, serão, respectivamente, inovação e comunicação.

Em 2011, com o lançamento do livro Conversas com Líderes Sustentáveis (Senac-SP). Observando que as histórias dos personagens do livro impactavam os ouvintes, e que um livro, por melhor que fosse, atingiria um público limitado, o autor, Ricardo Voltolini, convidou alguns dos presidentes a compor um movimento com o propósito inicial de realizar encontros empresariais pelo país. O livro foi consequência de pesquisa feita por Ideia Sustentável, em 2008, que apontou a liderança como a variável de sucesso mais importante para a inserção do conceito de sustentabilidade na gestão e na cultura dos negócios.

Com receita advinda do patrocínio de empresas apoiadoras que se identificam, institucional e ideologicamente, com a missão da Plataforma de inspirar e educar jovens líderes para a sustentabilidade. Os recursos destinam-se integralmente ao pagamento dos profissionais envolvidos na execução das atividades, pesquisa e produção de conhecimento, criação de videos inspiracionais/educacionais, organização de eventos (nacional e regionais) e  manutenção do portal.

Sim. Mas o apoio não é uma condição para integrar o conjunto de cases. O processo de seleção – já mencionado – obedece a critérios técnicos. E desse princípio Ideia Sustentável não abre mão sob pena de comprometer a qualidade das ideias e legitimidade das ações. Há empresas que integram o movimento e não o apoiam. Para apoiar, a empresa precisa se comprometer com os seis princípios da Plataforma. Ideia Sustentável se reserva o direito de não aceitar o apoio de empresas fabricantes de cigarros, de armas e envolvidas em negócios controversos, cujos impactos socioambientais sejam contestados pela maioria da sociedade.

Não, ela não é nem um prêmio nem um selo. É uma iniciativa de gestão de conhecimento que visa tão somente mostrar como as empresas e os seus líderes estão enfrentando os dilemas da inserção da sustentabilidade nos negócios. Não conferimos notas e avaliações a empresas, não transformamos líderes em gurus, não idolatramos pessoas e marcas, não atestamos idoneidade ética e moral nem oferecemos nenhum tipo de aval de que uma companhia é mais ou menos sustentável. Também não julgamos, por princípio, empresas e pessoas.

Parcerias