Schneider Electric assume compromissos com colaboradores e comunidade LGBT

Anúncio marca o início de um programa com atividades de inclusão e diversidade promovidas pela empresa

A Schneider Electric, especialista global em gestão de energia e automação, assumiu 10 compromissos com a comunidade LGBT com um programa de incentivo à diversidade na companhia.

“Diversidade é um tema prioritário para a Schneider. Acreditamos que a igualdade é fundamental para a satisfação de nossos colaboradores, atrair novos talentos e ajudar a promover transformações importantes na nossa sociedade. Além disso, um ambiente que aceita a diversidade é propício para inovação, ingrediente essencial para que nossa empresa continue competitiva e diferenciada em nosso mercado”, diz Tania Cosentino, Presidente da Schneider Electric para América do Sul.

tania schneider

Os compromissos adotados pela Schneider preveem o respeito e a promoção de direitos LGBT:

  1. Comprometer-se com o respeito e promoção de direitos LGBT;
  2. Promover a igualdade de oportunidades e tratamento justo para as pessoas;
  3. Promover ambiente respeitoso, seguro e saudável;
  4. Sensibilizar e educar para o respeito aos direitos;
  5. Estimular e apoiar a criação de grupos de afinidade;
  6. Promover o respeito aos direitos LGBT em Comunicação e Marketing;
  7. Promover o respeito pelos direitos LGBT na concepção de produtos, serviços e no atendimento ao cliente;
  8. Promover o desenvolvimento profissional para os colaboradores LGBT;
  9. Promover o desenvolvimento econômico e social;
  10. Promover e apoiar ações em favor dos direitos LGBT na comunidade.

Os compromissos foram anunciados no Fórum LGBT, realizado essa semana na empresa com 320 participantes. Além de lideranças e colaboradores da companhia, o evento reuniu nomes como Reinaldo Bulgarelli, coordenador dos cursos de Sustentabilidade, Responsabilidade Social Empresarial, Diversidade e Terceiro Setor do Programa de Educação Continuada da FGV|SP; Adriana Ferreira, líder de Diversidade e Inclusão da IBM no Brasil; Simone Soares Bianche, diretora de Recursos Humanos da Du Pont; Vinícius Mercado, líder do Diversitas, grupo de apoio à Diversidade LGBT e Aliados na AIG Seguradora; e Jaqueline Suryan, advogada sênior do Mattos Filho Advogados e co-lider do grupo Mfriendly dedicado a falar do tema LGBT no ambiente de trabalho e na sociedade.

O evento marca o início de uma série de atividades – como debates e palestras – que promoverão a inclusão desses públicos, além do engajamento de todos os colaboradores nas discussões sobre o tema.

Sobre a Schneider Electric

A Schneider Electric é especialista global em gestão de energia e automação. Com receita de 26,6 bilhões de euros em 2015, equivalente a mais de R$ 115 bilhões, nossos 160 mil funcionários atendem clientes em mais de 100 países, ajudando-os na gestão e processos de energia, a fim de que seja segura, confiável, eficiente e sustentável. Desde interruptores até sistemas operacionais complexos, a Schneider Electric tem tecnologia, software e serviços que melhoram a forma como os nossos clientes gerenciam e automatizam suas operações. Nossas tecnologias remodelarão indústrias, transformarão cidades e enriquecerão vidas.

Para a Schneider Electric, isso é Life is On.

www.schneider-electric.com.br




Compartilhar:
Tags:

É um movimento que reúne as histórias de líderes empresariais com o objetivo de conectar, inspirar e educar jovens líderes para os valores da sustentabilidade. É ainda um conjunto de ferramentas – livros, portal, videopalestras, eventos educativos regionais e nacionais, cursos e conteúdos de apoio à educação de líderes – que se presta a apoiar empresas, associações classistas, escolas de negócio e universidades na gestão de conhecimento para a sustentabilidade.

Não. Embora relate histórias de presidentes de companhias, a Plataforma se destina a todo profissional que exerce algum tipo de liderança. O líder não está sentado apenas na cadeira de presidente. Pode estar nos diferentes escalões de uma empresa. Pode estar à frente de um departamento, de uma pequena empresa, de um empreendimento ou de algum processo.

Storytelling é a base metodológica da Plataforma Liderança Sustentável. São muitas as definições. A que utilizamos é a seguinte: usar a narrativa empresarial como meio para inspirar e educar pessoas. Bons líderes têm, entre as suas habilidades, a arte de contar histórias e envolver pessoas. Em vez de business cases, o que fazemos é estruturar narrativas que mostram como pensam, agem, tomam decisões e em que valores acreditam líderes sustentáveis. Essas narrativas, que combinam fatos empresariais e pessoais, estabelecem proximidade, proporcionam maior identificação, humanizam o discurso da sustentabilidade e, assim, ajudam a fazer a gestão do conhecimento para a mudança.

Não é um conceito, mas um nome que criamos para designar um tipo de líder que lidera com valores e pela sustentabilidade. Este perfil de liderança tem sido crescentemente mencionado em documentos internacionais, como os Princípios da Educação Empresarial Responsável e a Agenda 50+20, por organizações como o Pacto Global da ONU e o Pnuma e em eventos internacionais relevantes, como o Fórum de Davos e a Rio+20.

Não, não é necessário, desde que o material não seja usado para fins de lucro. Qualquer pessoa interessada em adotar os conteúdos da Plataforma poderá fazê-lo, bastando acessar o vídeo diretamente nos portais do Vimeo e do YouTube, onde estão arquivados. Recomendamos que, feita a utilização do material, o interessado envie depois por e-mail (plataforma@ideiasustentavel.com.br) um breve relato dos resultados e impactos em sala de aula, em palestras ou treinamentos.

Primeiro, ouvimos  entre 70 e 80 especialistas em sustentabilidade (acadêmicos, consultores, formadores de opinião) para elaborar uma lista inicial de indicações. As empresas mais indicadas são, posteriormente, estudadas pela equipe Ideia Sustentável (mediante análise de relatórios e entrevistas) para verificar se – e o quanto – estão adequadas ao tema do ano. Só, então, depois desse procedimento, são convidadas a participar. Em 2011, o tema foi o estado da arte da liderança sustentável. Em 2012, como as empresas estão educando os seus líderes para o tema. Em 2013, estratégia. Em 2014 e 2015, serão, respectivamente, inovação e comunicação.

Em 2011, com o lançamento do livro Conversas com Líderes Sustentáveis (Senac-SP). Observando que as histórias dos personagens do livro impactavam os ouvintes, e que um livro, por melhor que fosse, atingiria um público limitado, o autor, Ricardo Voltolini, convidou alguns dos presidentes a compor um movimento com o propósito inicial de realizar encontros empresariais pelo país. O livro foi consequência de pesquisa feita por Ideia Sustentável, em 2008, que apontou a liderança como a variável de sucesso mais importante para a inserção do conceito de sustentabilidade na gestão e na cultura dos negócios.

Com receita advinda do patrocínio de empresas apoiadoras que se identificam, institucional e ideologicamente, com a missão da Plataforma de inspirar e educar jovens líderes para a sustentabilidade. Os recursos destinam-se integralmente ao pagamento dos profissionais envolvidos na execução das atividades, pesquisa e produção de conhecimento, criação de videos inspiracionais/educacionais, organização de eventos (nacional e regionais) e  manutenção do portal.

Sim. Mas o apoio não é uma condição para integrar o conjunto de cases. O processo de seleção – já mencionado – obedece a critérios técnicos. E desse princípio Ideia Sustentável não abre mão sob pena de comprometer a qualidade das ideias e legitimidade das ações. Há empresas que integram o movimento e não o apoiam. Para apoiar, a empresa precisa se comprometer com os seis princípios da Plataforma. Ideia Sustentável se reserva o direito de não aceitar o apoio de empresas fabricantes de cigarros, de armas e envolvidas em negócios controversos, cujos impactos socioambientais sejam contestados pela maioria da sociedade.

Não, ela não é nem um prêmio nem um selo. É uma iniciativa de gestão de conhecimento que visa tão somente mostrar como as empresas e os seus líderes estão enfrentando os dilemas da inserção da sustentabilidade nos negócios. Não conferimos notas e avaliações a empresas, não transformamos líderes em gurus, não idolatramos pessoas e marcas, não atestamos idoneidade ética e moral nem oferecemos nenhum tipo de aval de que uma companhia é mais ou menos sustentável. Também não julgamos, por princípio, empresas e pessoas.

Parcerias