5º Estudo NEXT – Eficiência energética – Tendência 5: Novas tecnologias sustentáveis

Desenvolver soluções tecnológicas – com potencial para ganhar escala no mercado – que reduzam impactos ambientais, diminuam os custos da energia e ampliem a eficiência e a vida útil dos produtos

Desafio tecnológico

Os avanços tecnológicos dos últimos anos não ampliaram somente a variedade de fontes energéticas, mas também a possibilidade de superar um desafio mundial: suprir uma elevada demanda por energia e reduzir impactos ambientais adotando formas de geração cada vez mais limpas e sustentáveis.

De um lado, as tecnologias têm papel fundamental na produção de energia mais barata, comercialmente viável, facilmente distribuída e passível de ser utilizada de modo inteligente e conectado. De outro, frente a projeções pouco otimistas sobre o aquecimento global e suas consequências à biodiversidade e à qualidade de vida, permitem reduzir emissões de gases de efeito estufa e outros danos gerados pelos sistemas energéticos tradicionais.

Os benefícios de investimentos em tecnologias de energia renovável podem vir tanto na forma de mitigação de impactos ambientais como na expansão de ganhos socioeconômicos, conforme demonstra o relatório elaborado em 2014 pela International Renewable Energy Agency (IRENA – em português, Agência Internacional de Energia Renovável), REthinking Energy – Towards A New Power System (Repensando Energia – Rumo a um Novo Sistema de Energia). Segundo o documento, em 2013, 6,5 milhões de empregos foram criados em todo o mundo com foco em inovação para fontes mais sustentáveis.

Ainda de acordo com o relatório da IRENA, a redução dos custos das tecnologias aliada ao aumento de sua eficiência possibilitou aos sistemas solar e eólico, por exemplo, um emparelhamento com a geração de eletricidade a partir de fontes fósseis. Entre 2009 e 2013, os preços dos módulos fotovoltaicos caíram 70%, enquanto os parques de energia eólica tiveram seu custo de construção reduzido em 18% no mesmo período.

Um dos motivos para o destacado crescimento das tecnologias de fontes renováveis no mercado é justamente o fato de virem se revelando bastante competitivas. Porém, segundo relatório da International Energy Agency (IEA) de 2014, tão importante quanto criar competitividade e escala é a forma como as tecnologias são empregadas ao longo das etapas de geração, transmissão, distribuição e consumo da eletricidade, determinante para o desenvolvimento efetivo e de baixo custo das redes inteligentes de energia (ou smart grids). Trata-se, portanto, de apoiar a integração das tecnologias às diferentes fases do sistema com políticas de longo prazo, tornando-o mais eficiente, flexível, confiável e acessível.

A figura a seguir ilustra esta tendência de usar as tecnologias em sistemas de eletricidade integrados e inteligentes.

Para avaliar a qualidade de uma tecnologia em eficiência energética e identificar o caminho do sucesso de sua introdução no mercado, é preciso considerar quatro elementos essenciais, listados pelo relatório World Energy Perspective: Energy Efficiency Technologies, do World Energy Council: (1) ser tecnicamente aplicável no sistema, (2) ter viabilidade econômica, (3) ser realizável (potencial de retorno demonstrável) e (4) ser realista (considerando barreiras de implementação políticas, financeiras, mercadológicas).

Tecnologias com essas características são fundamentais para o avanço em direção à produção limpa de energia, cada vez mais baseada em recursos renováveis. Porém, usá-las isoladamente não promove uma mudança efetiva, que exige trabalho conjunto de todas as partes interessadas – governos, cidadãos, financiadores, empresas privadas, agências internacionais – para potencializar os resultados da aplicação de inovações tecnológicas no longo prazo, rumo à transição para um sistema energético sustentável.

Clique aqui para conferir as palavras de especialistas sobre o tema



Quem já contratou




Leve essa ideia para sua empresa: Contate-nos

Compartilhar:
Tags:

 

twitter

Parceiros