Inovação e liderança, o casamento ideal

Por Fábio Congiu

Já pensou na oportunidade de participar de um bate-papo com um líder empresarial respeitado e que lhe inspirou, por seus princípios e valores, tanto profissional como pessoalmente? E mais: nesta mesma ocasião, encontrar pessoas com interesses e objetivos semelhantes, trocar experiências e contatos e debater questões fundamentais para o futuro das empresas? É o que a Plataforma Liderança Sustentável pretende promover em seus próximos passos.

A primeira experiência nesse sentido, batizada de Encontro com o Líder, colocou Paulo Nigro, presidente da Tetra Pak, no centro de um círculo composto por cerca de 60 pessoas para uma conversa direta, interativa e intimista, diferente das palestras e dos eventos regionais realizados nos últimos meses, voltados para públicos mais amplos. “Se quisermos falar sobre sustentabilidade, tem de ser assim: cara a cara”, afirmou Ademar Bueno, parceiro na realização e coordenador do Laboratório de Inovação, Empreendedorismo e Sustentabilidade (LabIES) da Fundação Getúlio Vargas, onde ocorreu o encontro, no dia 29 de outubro.

Ao lado de Nigro estava o diretor-presidente da consultoria Ideia Sustentável: Estratégia e Inteligência em Sustentabilidade e idealizador da Plataforma, Ricardo Voltolini, responsável por conduzir o evento. “Vocês são cobaias deste formato”, brincou com o público. Em seguida, defendeu o ‘mantra’ com o qual vem percorrendo o país: o líder é fundamental para a inserção do tema nas empresas – tese de seu livro Conversas com Líderes Sustentáveis (Ed. Senac-SP/2011).

“Com a missão de inspirar, conectar e educar jovens líderes espalhados pelo Brasil, impactamos diretamente mais de 30 mil gestores, atingimos a marca dos 25 mil acessos mensais no portal, contabilizamos 130 mil visualizações em nossos canais de vídeos e participamos de cerca de 140 eventos”, comemorou Voltolini.

A dinâmica do encontro seguiu à risca a proposta de simplicidade: a parte inicial contou com perguntas provocativas de Voltolini a Nigro; na segunda, os participantes puderam lançar suas questões, baseados em seus próprios desafios, dúvidas e experiências.

O bate-papo foi registrado por quatro câmeras em high definition e, em breve, será disponibilizado no portal da Plataforma em formato também inovador.

No centro da roda

“É difícil estar assim, no centro da roda, pois não consigo olhar nos olhos de todos os meus interlocutores. Mas vamos lá!”, encarou Paulo Nigro, ao iniciar o bate-papo. Indiretamente, já destacava uma das várias características do líder sustentável que seriam apontadas ao longo da conversa: a comunicação direta, sincera, verdadeira.

Quando perguntado a respeito do primeiro insight sobre sustentabilidade, a resposta não poderia ser menos provocativa: “Toda uma trajetória de vida”, disse. Desde criança, Nigro já reciclava sem saber a importância de sua ação: para ajudar o pai, procurava fios de cobre e vendia no ferro velho. “Sequer imaginava que seria presidente da Tetra Pak, onde reciclagem é a questão de vida ou morte da empresa. Certa vez, li uma frase no aeroporto de Milão: Todos os passos que eu dei na minha vida me trouxeram aqui, agora. Fez sentido”, constatou.

“Depois desse dia, nunca mais a sustentabilidade saiu da minha agenda de negócios” disse Nigro. Para ele, perenidade é a melhor tradução para o termo. “Comparo a ideia do triple bottom line a um templo grego. Se uma organização quer existir ao longo de muitos anos, tem de saber onde se apoiar. Precisa de uma base sólida, sustentável, que a permita atravessar o tempo, como já foi feito na Antiguidade”, explicou.

Para resistir aos séculos, no entanto, não basta à empresa agir sozinha. Toda a sua cadeia de valor precisa estar alinhada com os mesmos princípios e ações. “O líder precisa vestir uma calça jeans, subir no caminhão e conhecer todos os processos relativos à atividade da sua organização para encontrar os parceiros mais adequados. Se me pedissem um conselho fundamental, seria este”, comentou Nigro.

A Tetra Pak recicla 28% de tudo o que coloca no mercado, número que está longe de satisfazer o presidente da empresa. Entretanto, os desafios para melhorar os resultados são diversos. “O principal dilema é o financeiro. Se a liderança não acreditar cegamente em seus valores e na sustentabilidade, não conseguirá vencê-lo”, afirmou. Em 2008, por exemplo, com a crise mundial, a organização comprou e estocou toneladas de lixo para salvar as cooperativas de catadores. “Se não der uma de louco de vez em quando, todo o seu trabalho pode ir por água abaixo”, afirmou.

Segundo Nigro, as pessoas, antigamente, eram treinadas para ser empregadas; hoje, têm de ser inovadoras. Criatividade, portanto, é uma das características da liderança sustentável entre as várias citadas por ele. “Conhecimento da cadeia de valor, coragem e, acima de tudo, princípios inegociáveis”, enumerou. Além disso, o líder deve ser um pregador, pois o que é um desafio agora passará a ser um qualificador quando o tema estiver completamente espalhado na sociedade. Destacou, por exemplo, que entendia o convite para participar do encontro como parte da sua missão. “Acreditar em Deus ou algo superior, isto é, ter uma crença norteadora também ajuda a cuidar do homem e do planeta”, acrescentou.

Para encerrar, arrancou aplausos da plateia ao perguntado sobre o que se deve dizer a um jovem que ainda tem um superior “tradicional”? “Demita o chefe!”, brincou. “A boa notícia para quem está ingressando no mercado com novas ideias de gestão é que, em breve, ocorrerá nas empresas uma espécie de ‘darwinismo hierárquico’: quem não se engajar na causa da sustentabilidade por valores ou por obrigação não vai liderar.”

Na segunda parte do encontro, Paulo Nigro respondeu perguntas, deu dicas e opinou sobre levantamentos do público. Inclusive os mais reflexivos: sustentabilidade, afinal, seria valor ou prática? “Valor que retorna para a empresa no reconhecimento de seus produtos e na sua atratividade. A prática, na verdade, ajuda a atingir esse valor e a transmiti-lo”, filosofou.

Identidade coletiva

A possibilidade de entrar em contato mais próximo com quem, em eventos tradicionais, trata-se por “palestrante” possibilitou maior troca de experiências, agregando conteúdo, segundo os presentes. “Há tempos eu tinha essa ideia de proporcionar uma experiência mais intimista para o público. Não queria que fosse uma palestra, mas um bate-papo, uma oportunidade única. Foi dinâmico, interativo, caloroso”, resumiu Voltolini.

Viver o coletivo: essa foi a sensação do professor das universidades Mackenzie e Senac, Cláudio Andrade. “Estavam presentes os três elementos da educação para sustentabilidade: diálogo, participação e engajamento. Tivemos reflexão conjunta, cara a cara, numa demonstração de real mudança de forma e conteúdo do paradigma ‘eu falo, você escuta’. Descobrimos valores catalisadores do líder sustentável, criamos uma identidade coletiva e potencializamos o conjunto de valores comuns”, afirmou Andrade, que é também integrante da Rede de Educadores da Plataforma Liderança Sustentável, parte da estratégia para ampliar os canais de difusão de conteúdos da iniciativa.

Também satisfeita com o resultado da conversa estava Elisabeth Alvarenga, coordenadora executiva do Centro Integrado de Estudos e Programas de Desenvolvimento Sustentável (Cieds). “O encontro foi mais humano e menos pensado. Na palestra tradicional, tudo já está ‘resolvido’. Aqui foi espontâneo, houve humanidade e inspiração. A mensagem, assim, chega mais fácil”, elogiou.

Fátima Viscarra, do departamento de Responsabilidade Social Corporativa da Roche, destacou a proximidade como principal característica do encontro. “É diferente de uma palestra: houve disposição para falar com o coração, nada foi pré-concebido. Tudo muito espontâneo! Quando sentimos essa proximidade, pensamos: é difícil, mas possível! Saio daqui querendo compartilhar informações, porque a Tetra Pak é uma referência em sustentabilidade”, afirmou. Juntas, ela e Rosicler Dennanno Rodriguez, buscam estruturar um departamento de Sustentabilidade na Roche. “Questões instigantes deram ênfase à transparência e autenticidade das ações sustentáveis de Paulo Nigro e sua empresa. Desse modo, a sessão se constituiu, essencialmente, em depoimento inspirador, ilustrado por práticas de alto nível que colaboraram, inclusive, com a definição de marcos regulatórios no país”, disse, referindo-se à Política Nacional de Resíduos Sólidos.

Maria Helena Sato, gerente de Memória Empresarial/Eventos Estratégicos da Nestlé Brasil, também aprovou. “Parabéns a toda a equipe que mais uma vez inovou e consolidou a comunicação na área de criação de valor compartilhado!”

A avaliação da ‘estrela’ do evento também foi positiva. “Quando olho nos olhos das pessoas que estão me ouvindo e sinto que houve uma comunicação de mão dupla, fico muito satisfeito”, comemorou Nigro. “Sinto que faz parte de uma missão pessoal. Sempre que houver disponibilidade, estarei presente nos fóruns da Plataforma, pois isso integra um projeto de vida”, afirmou.

Para Nigro, líderes não são formados nas escolas, mas elas, sem dúvida, facilitam. “Ainda não está acontecendo na velocidade, profundidade e quantidade que eu gostaria de ver. O Brasil tem a enorme oportunidade de ser uma potência ambiental do mundo. E, se quisermos isso, precisamos ir mais rápido. Estamos nos primeiros passos.”

Novidades

A Plataforma entrará em 2013 repleta de novidades. Uma nova logomarca está sendo concebida pelas agências Dona Dita e Setor 2 e ½, parceiras da iniciativa, que criarão, ainda, banners e imagens de divulgação. Novos formatos de registro audiovisual também serão adotados para comunicar da forma mais direta os objetivos e conteúdos do programa.

A agenda da Plataforma para o próximo ano já conta com eventos em diversos locais do país. No dia 27 de fevereiro, Goiânia receberá um encontro regional com a presença de pelo menos um dos líderes integrantes da iniciativa. No dia 06 de março, é a vez de Joinville, seguida por Curitiba (12/03) e Belém (19/04), onde Franklin Feder, presidente da Alcoa, já é presença confirmada. O itinerário do programa conta, ainda, com uma passagem por Porto Alegre, em 27 de junho.

Os interessados devem se programar e acompanhar as atualizações no portal www.ideiasustentavel.com.br, além de nossas páginas e perfis nas redes sociais.




Compartilhar:
Tags:

 

twitter

Parceiros