Estudo do Itaú revela números expressivos sobre empreendedorismo feminino

O Itaú Unibanco realizou um estudo de mensuração dos investimentos de empresas compostas, majoritariamente, por mulheres. A intenção do banco era compreender a composição da carteira de crédito dessas empresas e evidenciar a importância do fomento ao empreendedorismo feminino.

O estudo é parte da nova edição do Relatório Anual do Itaú Unibanco e foi realizado pelas áreas de Sustentabilidade e Finanças do banco.

Além dos dados gerais do relatório anual do banco, o Itaú Unibanco mediu, pela primeira vez, algumas característica das mulheres empreendedoras, como grau de liderança e confiança. Foi utilizada uma metodologia baseada em estudos acadêmicos e entrevistadas 507 pessoas participantes do Programa Mulher Empreendedora.

Leia também: Mulheres líderes – elas estão cada vez mais empoderadas

Expressões do empreendedorismo feminino

O estudo do Itaú Unibanco sobre empreendedorismo feminino destacou os seguintes pontos:

  • – Maior limite de crédito: o estudo demonstrou que as clientes que participam do programa Itaú Mulher Empreendedora apresentam maior limite de crédito e aumento de margem financeira, margem de serviços, faturamento e melhora nos indicadores de crédito. Essas correntistas tiveram uma média de limite de crédito 77% maior que os outros correntistas. De acordo com o banco, o limite é correlacionado à intensidade de interação entre cliente e a instituição financeira, ou seja, quanto mais recorrente o uso dos produtos do banco, de forma saudável, maior será a influência positiva nos limites de crédito.
  • – Menor índice de inadimplência: além do aumento do limite de crédito, as participantes do programa Mulher Empreendedora demonstraram menor probabilidade de inadimplência em relação  aos outros clientes do banco. Programas de incentivo ao empreendedorismo feminino, como o Mulher Empreendedora, geram impactos positivos tanto para as clientes quanto para a instituição financeira. E, ainda, apresentam um índice de satisfação de 86%.
  • – Volume de crédito concedido para empresas lideradas por mulheres: em 2018, o volume de operações de crédito para empresas compostas, na sua maioria, por mulheres atingiu, aproximadamente, R$ 3,1 bilhões de reais. Foi mais que o dobro da carteira em 2016.
  • – Grau de empoderamento e confiança:  entre os resultados obtidos com as entrevistas a mulheres participantes do Programa Mulher Empreendedora, 70% das entrevistadas apresentaram atitudes como desenvolvimento de habilidades de seus funcionários, senso de poder e confiança; 56% participaram de forma ativa nos processos de decisão em suas empresas; 86% sentem-se confiantes ao tomar uma decisão na empresa. Na imagem abaixo, alguns outros dados obtidos com o estudo.

Dados do estudo do Itaú




Compartilhar:
Tags:

 

twitter

Parceiros