Poluição do ar é tema do Dia Mundial do Meio Ambiente

A China sediará as comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente, celebrado anualmente no dia 5 de junho. Contudo, as discussões sobre os temas abordados nessa efeméride acontecem durante toda a Semana do Meio Ambiente. O tema abordado em 2019, oficialmente proposto pela ONU, é a poluição do ar.

O assunto que irá nortear as discussões foi definido na última Assembleia da ONU para o Meio Ambiente, que ocorreu em março de 2019 no Quênia. Nesta reunião, cientistas e especialistas apresentaram às lideranças presentes um relatório contendo informações relevantes sobre a situação do planeta, e a poluição do ar foi um dos principais destaques.

Saiba mais: Sustentabilidade é discutida na Assembleia da ONU para o Meio Ambiente

Vista aérea de Xangai, na China. Foto: ONU Meio Ambiente

Poluição do ar mata milhões de pessoas

De acordo com o relatório da ONU, aproximadamente 7 milhões de pessoas morrem prematuramente devido às consequências da poluição do ar. Desses, 4 milhões de mortes acontecem apenas na região da Ásia e do Pacífico, e atingem principalmente as comunidades mais pobres. Idosos e crianças são os públicos que mais sofrem com a poluição atmosférica.

No Brasil, segundo levantamento da Organização Mundial da Saúde (OMS), a poluição do ar em ambientes externos causa a morte de mais de 50 mil pessoas por ano. Este é um dos grandes desafios de saúde pública do país, sobretudo nos grandes centros urbanos, devido à alta quantidade de indústrias e automóveis, que emitem gases poluentes.

Em São Paulo, o maior centro urbano do país, uma projeção do Instituto Saúde e Sustentabilidade, realizada por pesquisadores da USP e divulgada no Estudo NEXT sobre saúde (2014), indica que das possíveis 256 mil mortes causadas pela poluição atmosférica no estado de São Paulo nos próximos anos, 25% ocorrem apenas na capital paulista. Além disso, a concentração de material particulado no ar pode provocar a internação de um milhão de pessoas, o que corresponde a um gasto público estimado em mais de R$1,5 bilhão.

A OMS relaciona à poluição atmosférica principalmente as seguintes doenças e complicações na saúde humana:

  • – câncer do pulmão;
  • – acidente vascular cerebral;
  • – isquemia cardiovascular;
  • – infecções agudas do sistema respiratório inferior, como pneumonia.

 

Dica de leitura: O que saúde tem a ver com sustentabilidade?

China: guerra contra a poluição do ar

A China é o país mais populoso do mundo. Possui aproximadamente 1,5 bilhão de habitantes.

Vivendo um grande e rápido crescimento econômico e industrial – e com esse tanto de gente somado aos veículos automotores e indústrias -, o país sofre com a poluição atmosférica. Há alguns anos, a poluição do ar na China era pauta de noticiários internacionais. O país já esteve em alerta vermelho, com partículas tóxicas em níveis de até 30 vezes maiores do que o máximo tolerado, segundo a OMS.

Fumaça cobre a China

A fumaça com gases poluentes já chegou a cobrir cidades inteiras da China

Entretanto, o país tem declarado uma verdadeira guerra contra a poluição. Em 2014, o primeiro-ministro Li Keqiang anunciou uma mudança no modelo de desenvolvimento do país, objetivando diminuir consideravelmente a poluição.

Estudos recentes apontam que a China tem alcançado sua meta. Em algumas cidades, a concentração de partículas poluentes caiu cerca de 32% em quatro anos.

Uma das ações tomadas para diminuir a emissão de gases poluente foi o intenso investimento em carros elétricos. Montadoras globais pretendem investir, nos próximos anos, cerca de 300 bilhões de dólares em tecnologias de carros elétricos. Metade desse valor será direcionado para a China, que tem acelerado a transição da indústria, substituindo os combustíveis fósseis por baterias e tecnologias de veículos elétricos asiáticos. Metade dos veículos elétricos do mundo e 99% dos ônibus que utilizam essa tecnologia circulam dentro das fronteiras chinesas.

Por este motivo, a China, que se tornou um exemplo de mudança em busca da sustentabilidade, tornou-se uma liderança global no tema e sediará os eventos do Dia Mundial do Meio Ambiente.

“A China será uma grande anfitriã global das comemorações do Dia Mundial do Meio Ambiente em 2019. O país demonstrou liderança no combate à poluição do ar internamente e, agora, pode ajudar a estimular outras partes do mundo a agirem. A poluição do ar é um desafio global e urgente que afeta a todos. A China irá, agora, liderar o impulso e estimular a ação global para salvar milhões de vidas”, declarou Joyce Msuya, diretora-executiva interina da ONU Meio Ambiente.



Quem já contratou




Leve essa ideia para sua empresa: Contate-nos

Compartilhar:
Tags:

 

twitter

Parceiros