Unimed patrocina evento de arte urbana dedicada à saúde auditiva

A Central Nacional Unimed está patrocinando o Ear Parade, iniciativa da Fundação Otorrinolaringologia. O projeto consiste no uso da arte urbana para mobilizar e sensibilizar a população sobre a importância da saúde auditiva. A exposição tomará as ruas e praças de São Paulo a partir de julho.

Este é o primeiro evento de arte urbana do mundo dedicado inteiramente a um tema da saúde.

O Ear Parade contará com dezenas de artistas, que produzirão uma série de esculturas em formato de orelhas, medindo por volta de 2,40 metros de altura. No total, serão mais de 65 esculturas espalhadas pelos principais pontos da cidade, customizadas por artistas plásticos como Bruno Badaró, Erica Morais, Lucas Ksenhuk, Michele Souza, Edilene Boechat, Nah Pinheiro, Paulo Ferrari, Reynaldo Berto, Tânia Turcato, entre outros.

foto de uma das esculturas pintadas, na calçada em frente a um prédio

Foto: Reprodução

Cronograma da exposição

Antes de ocupar os principais espaços públicos da capital paulista, a exposição do projeto Ear Parade tem início na própria produção artística.

Desde o dia 22 de abril, a entrada principal do Shopping Frei Caneca, no bairro Consolação, se transformou em um ateliê coletivo. Neste espaço, seis artistas trabalham em suas respectivas obras, simultaneamente, e o público tem oportunidade de acompanhar a evolução das obras.

“Já que a arte é uma maneira de transmitir uma mensagem, nada melhor do que aproveitar uma intervenção urbana dessa proporção, que culminará em um leilão para angariar fundos para projetos ligados à Fundação Otorrinolaringologia”, afirma Sizenando Campos Júnior, médico neurologista e Diretor Comercial e de Marketing da Central Nacional Unimed.

Após a conclusão dos trabalhos pelos artistas, as esculturas ficarão expostas no Shopping Frei Caneca, de 25 de junho a 23 de julho. A partir do dia 24 de julho, a exposição irá para sua segunda fase: as esculturas ocuparão as principais ruas e praças da cidade de São Paulo.

O evento encerra-se com um leilão beneficente, no dia 29 de agosto. As esculturas poderão ser arrematadas e parte da arrecadação será revertida para o Hospital das Clínicas, Projeto Reouvir (que doará aparelhos auditivos e implantes cocleares para comunidades carentes) e para o LIM 32 (laboratório de pesquisas com célula-troco para regeneração auditiva).

Dados sobre a saúde auditiva

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), cerca de 1 bilhão de pessoas no mundo possui algum grau de deficiência auditiva.

Leia também: O que saúde tem a ver com sustentabilidade?

Existem diferentes tipos de surdez e perdas auditivas, e o evento é uma oportunidade para que profissionais da saúde esclareçam as principais características de cada uma dessas deficiências auditivas, bem como as formas de prevenção e tratamento. A proposta da exposição Ear Parade é atuar, por meio da arte urbana e da sensibilização, como uma ferramenta de prevenção, reabilitação e incentivo ao tratamento da perda auditiva. E, além disso, o projeto promove a democratização da arte, com a participação da população desde o processo de criação artística.

“A exposição chama a atenção para um assunto que é muito pouco falado: os cuidados com a audição antes que sua perda ocorra. Em um grande centro urbano, como São Paulo, estamos constantemente expostos aos mais diversos ruídos, seja pela poluição sonora da cidade ou pelos longos períodos com fones de ouvido. Raramente pensamos no impacto disso na saúde em longo prazo. Como uma empresa ligada à saúde, acreditamos que a iniciativa será bastante relevante para conscientizar a população sobre o problema”, explica Sizenando, da Unimed.




Compartilhar:
Tags:

 

twitter

Parceiros